A turma do Jardim está envolvida em um projeto sobre fotografia, um projeto que iniciou com na busca de investigar o olhar das crianças sobre o que elas capturam do mundo e delas mesmas… pensamos então em usar a fotografia e as muitas possibilidades de expressão que ela nos oferece. Começamos a trabalhar com fotografias que tínhamos e percebemos as crianças enfeitiçadas, pouco a pouco fomos agregando as contribuições das famílias e mostrando as mudanças tanto dos instrumentos, quanto do produto final.

Crianças explorando fotografias

Começamos a trabalhar com fotografias que tínhamos e percebemos as crianças enfeitiçadas, pouco a pouco fomos agregando as contribuições das famílias e mostrando as mudanças tanto dos instrumentos, quanto do produto final.

Crianças explorando máquinas fotográficas

Questionados atribuíram as fotografias a função de guardar lembranças e registrar o passado dizendo que “as fotos nos trazem lembranças, pra gente poder ver como éramos quando nascemos, as festas de aniversário de quando éramos pequenos…”

Em um vídeo conheceram a história da fotografia, se quiser, pode conferir no link   https://www.youtube.com/watch?v=4cSMG5XAq7c, aprenderam que o primeiro a descobrir foi Aristóteles, que fez uma caixa preta com um buraco que dava para olhar o eclipse, considerando esta uma fotografia.  Do vídeo registraram que antigamente não existia cópias e falamos sobre o que era uma “cópia” e chegaram à conclusão que naquela época, “para tirar fotos iguais, as pessoas teriam que ficar paradinhas…”. Tentamos colocar em prática essa ideia e tiramos duas fotos de sequência para comparar, descobriram assim o quanto é difícil e quase impossível saírem iguais.


Outra descoberta foi de que no passado “Não tinha cor nas fotos”, uma das hipóteses para isto foi de que “… as fotos ficavam tanto tempo guardadas que perdiam a cor, de tão velhinhas que ficavam.”

As famílias tem sido grandes colaboradoras, enviando para compor nossa exposição câmeras fotográficas antigas, filmes de rolo, negativos e álbuns de fotografia dos bisos e cada vez recebemos mais colaborações.

 

O projetor de slides trazido por uma garantiu momentos mágicos, permitindo que eles tivessem contato com fotografia projetada, exposta de um âmbito diferente do que conhecem e a turma adorou! A foto antiga trouxe também de uma forma concreta a noção da passagem do tempo.

“- Nossa! Como tua vó era nova B.!” (R. 5 anos)

“- Era bonita!” (E. 5 anos)

“- Eu prefiro minha avó agora.” (B. 4 anos)

Um colega ensinou que poderiam usar o projetor para brincar de sombra na luz garantiu diversão durante o restante da tarde, brincando de sombras.


É muito bacana acompanhar o envolvimento das famílias, uma avó que esteve na escola e aproveitou para entrar na sala, se inteirar do que está acontecendo na turma contou para as crianças que a máquina chamada de Lambe Lambe, se chama assim porque o fotógrafo tinha que lamber as lâminas. As crianças acharam muita graça.

Uma das atividades que tem rendido muitos suspiros dos papais e mamães foi o das fotos transpostas para papel vegetal, que ficaram muito legais, uns mais completos outros nem tanto, mas na verdade todos perfeitos, cheio de expressões.


A cada dia as crianças estão fotografando, cada uma no seu tempo, receberam a fotógrafa Milena Santos, que através de um teatro de fantoches falou sobre o significado da fotografia, como forma de guardar memórias e não como apenas expor a imagem, além de transmitir algumas dicas sobre com o fotografar. Milena passou a tarde na escola, sendo fotografada pelos alunos do jardim e fotografando. O resultado deste trabalho feito a várias mãos se transformará em uma exposição.

 O projeto ainda terá novos desdobramentos e apresentará alguns fotógrafos importantes como Sebastião Salgado e Vik Muniz.