O segredo é não correr atrás das borboletas…
É cuidar do jardim para que elas venham até você.
Mario Quintana

Nesta segunda-feira as crianças do Berçário da Pirlimpimpim foram surpreendidas por novidades que vieram anunciar a chegada de novas amiguinhas, vindas diretamente do jardim, achamos que elas vieram se esconder do frio que está fazendo lá fora e de quebra, irão nos ajudar a estimular os pequenos a voltarem seus olhos para o alto.

As borboletas chegaram e com elas muitas cores!!!

borboletas-voar

Estas amiguinhas, de asas multicoloridas tem exercido um grande fascínio em diversas culturas, ao longo dos séculos, como símbolo de transformação, sua metamorfose sempre foi considerada um dos grandes mistérios da natureza e este mistério vai colorir os dias e as descobertas da turminha dos bebês pelos próximos dias…

A borboleta nasce lagarta, no início da sua vida, rasteja pelo chão e conhece o mundo sob esta perspectiva, assim também acontece com nós humanos. Há pouco tempo nossos bebês não andavam, apenas se arrastavam, com muita graça e cada vez adquirindo mais desenvoltura.

2013-01-03 13.54.55

As borboletas vivem desta forma até que sejam chamadas pela Natureza para iniciar um processo em busca de si mesmas e de seu estado final, sofrendo transformações físicas que a prontifiquem para o momento de saída do casulo e a nova vida a seguir. Mais uma vez, podemos pensar na evolução dos humanos. Nossos bebês iniciam suas vidas protegidas pelo “casulo materno” do útero e aos poucos, lutam para sair e explorar o mundo, o que não acontece sem dor, aprendizado, muitas angústias e uma lista sem fim de conquistas.

No início, suas asas, ainda enrugadas, não lhe permitem o voo imediato, mas de repente, aprendem a voar e conhecem o mundo de um novo ângulo: passam a enxergar o chão, onde outrora viveram, agora de cima e em um segundo, o “em cima”, começa a estar ao alcance das mãos.

Nesta segunda-feira, um desafio foi lançado por balões multicoloridos no “céu” do berçário, que estava coberto por por balões.

Berçário Borboletas (4)

Esta atividade foi proposta para oferecer uma nova perspectiva de trabalho para os bebês, onde o material a ser explorado não estaria no chão e sim no ar. Eles, como sempre, entraram na dança e aqueceram a tarde com muita música e movimento. Os balões presos ao teto, produziram um efeito eletrizante nos pequenos que pularam, se espicharam, descobriram o efeito de sua força e deram muitas gargalhadas.

Berçário Borboletas (12)

As Borboletas aprendem a lidar com seu novo ambiente, e se apropriam do céu e da terra e assim também acontece com nossos bebês.

Eles também aprendem a lidar com o novo e as novas possibilidades que este oferece, amparados pelo cuidado do mundo a sua volta e aqui na Pirlimpimpim, nossos “borboletinhos” e nossas “borboletinhas” estão aprendendo a voar recebendo muito estímulos, carinho e cuidados.

Berçário Borboletas (14)

Neste momento de transição, com a saída da profe Rê, estão sob os olhares das profes Isis e Andressa. A profe Andressa, formada em Educação Física, veio para ficar e já faz parte da nossa equipe já há alguns dias, vem circulando pelos diferentes ambientes da escola e recebendo treinamento. Já a profe Isis, que já é uma velha conhecida, pois está na escola há muito tempo, ficará no berçário por alguns dias e acompanhará o treinamento da nova profe, que virá ocupar o lugar deixado pela talentosa professora Renata, que já deixa saudade, agora que foi tentar novos vôos por este mundo afora.

Berçário Borboletas (8)

A trajetória de nossa vida pode ser comparada ao processo da borboleta. Nascemos com certas características, passamos por situações que nos propiciam aprendizado e estamos sempre em busca de nos tornarmos melhores – voando em todas as direções com asas multicoloridas. Vivemos em transformação, procurando sempre pelo melhor e nesta busca cruzamos com “borboletas” diferentes, algumas vem e outras vão, mas cada uma traz o seu colorido que deixa nossos dias tão especiais.